quinta-feira, 10 de junho de 2010

Juiz Federal libera processo nacional contra franquias de limpeza


O juiz da Corte Federal dos Estados Unidos em Boston, William Young, determinou em maio que franqueados estão protegidos pelas leis trabalhistas de Massachusetts.
A decisão foi baseada no número crescente de denúncias de ações desonestas no ramo de franquias de limpeza nos últimos cinco anos.
Ainda segundo Young, os franqueados devem entrar com uma ação judicial nacional contra essa indústria.
Depois que um grupo de dez brasileiros travou uma luta judicial contra a Coverall e outras empresas de franquia de limpeza em 2005, uma série de outros processos surgiram alegando as mesmas infrações. De acordo com os documentos apresentados pelos franqueados, as companhias fazem deduções extremamente altas e tiram os clientes por motivos infundados depois que a dívida é quitada.
Esse foi o caso de uma brasileira B.C., 76 anos, que perdeu a limpeza de um cinema depois que a companhia apresentou uma avaliação mostrando a insatisfação do cliente. No entanto, o gerente da instituição nega ter preenchido o formulário e alega que falsificaram a sua assinatura. Em tempo: Especialistas afirmam que o alvo dessas empresas são classes vulneráveis como a imigrante.
Diego Low, diretor da Casa do Trabalhador, diz que é comum imigrantes procurarem a organização para denunciar ações abusivas das companhias. “Isso é rotina na indústria de franquias e por isso é importante que os franqueados da Coverall e de outras empresas entrem em contato conosco. Precisamos mudar esse sistema que comete tantos abusos contra a comunidade imigrante”, conclui Low.
Para mais informações, ligue para a Casa do Trabalhador no (508) 532-0575.

Nenhum comentário:

Postar um comentário